Wolff Odontologia

(31)3891-3700
contato@wolffodontologia.com.br

Odontogeriatria

Odontogeriatria é uma especialidade da Odontologia que cuida da saúde bucal de idosos, prevenindo e tratando os problemas comuns nesta faixa etária. Trata-se de uma nova especialidade odontológica. A sua existência atual se deve principalmente a dois fatores: o primeiro é o aumento da população de idosos; o segundo, é que estes idosos estão chegando à velhice com cada vez menos dentes perdidos ao longo da vida.

Geralmente na maturidade, o sorriso e a mastigação estão prejudicados por problemas dentários adquiridos ao longo da vida. Neste contexto, os cuidados com a saúde bucal são muito importantes para chegar à terceira idade com maior qualidade de vida.

A ausência, total ou parcial, dos dentes traz diversos danos à saúde como, por exemplo, a deficiência na mastigação, na fala e na estética. Muitas vezes, o idoso deixa de lado os cuidados com os dentes, demorando a visitar o dentista.

É preciso entender e respeitar as necessidades destes pacientes e fazer com que se sintam à vontade no consultório, pois o medo também influência na falta de tratamento odontológico em idosos, uma vez que, no passado, os tratamentos eram mais doloridos e demorados.

Os idosos estão sujeitos à presença frequente de doenças sistêmicas, sendo muito importante a integração entre o médico do paciente e o dentista. Desta forma, o odontogeriatra pode conhecer seu histórico de saúde e intervir com mais segurança e eficiência.

Nosso objetivo é devolver ao paciente idoso a função mastigatória e estética, com a consequente melhora da sua autoestima e qualidade de vida.

Veja abaixo, algumas razões que justificam a necessidade da Odontogeriatria:

A falta de saúde bucal pode comprometer o sistema digestivo do idoso e sua saúde sistêmica.

A presença de doenças dentárias, como a periodontite e cáries, podem favorecer a bacteremia (entrada de bactérias na corrente sanguínea), aumentando as chances de infarto, derrames cerebrais, além de gerar grandes riscos a pacientes portadores de próteses cardíacas, pois estas bactérias podem se instalar nestes locais.

A gengivite e a periodontite podem dificultar o controle adequado da glicemia em pacientes diabéticos.